Arte do banner: Daniel Lima da Silva
Arte da logomarca: Filipe Figueiredo da Guia

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

FÓRUM MUNICIPAL DE CULTURA: EU APROVO!



Muitas pessoas que foram ao Fórum Municipal de Cultura de Cabo Frio ou, mesmo ausentes, aplaudiram sua realização, têm enviado e-mails, recados, comentários e cartas aprovando e apoiando o evento.

Nesse espaço, que será constantemente atualizado, reproduziremos algumas dessas manifestações:


A conquista da capacidade de pensar a cultura que queremos e que fazemos foi uma necessidade apontada também por mim naquela primeira reunião na Casa dos 500 Anos.
"O que podemos fazer pela Cultura?" "O que que a Cultura pode fazer por nós?"
Entendo que o Fórum se constituiu num mecanismo legítimo para levantar algumas perguntas, entender algumas diferenças, e aferir disponibilidades e disposições.
Precisamos continuar construindo um processo democrático e justo.
O Fórum organizou,indicou diretrizes,denunciou vazios e arriscou caminhos que devem ser assumidos com maturidade por todos que defendem o direto de escolha.
Mérito à coordenadoria de cultura por modelar, até então, puras divergências, em idéias e posições.
Com certeza, um primeiro passo extremamente importante, que veio atender o anseio pulsante em muitos "cantos" da cidade.
Pensar a cultura, dar-lhe forma e nomes é um "modos operandis" novo e precisa ser aprendido e apreendido com o tempo.
Um Fórum nunca dará conta de tudo, não é pra satisfazer a todos, não é pra ser de ninguém, não é pra eleger autoridades culturais, não é para qualificar ou desqualificar quem ficou dentro ou fora.O Forúm é uma conquista, é um mecanismo de organização, é o cumprimento de um dever administrativo que se impôs como realidade, no desejo de se encontrar caminhos.
O Fórum acolheu os artistas com seus discursos e com seu silêncio,com suas virtudes e suas não virtudes.
O Fórum não dá conta das dificuldades políticas que privam a cultura de um "futuro", mas dá um futuro às políticas culturais da cidade.
Digo sim a tudo que compreendo ser na direção desse futuro.

Susiane Borges
(Projeto Fábrica de Música - Ponto de Cultura do Governo Federal)

Em toda a minha vida, aqui na Região dos Lagos, nunca vi um encontro como o Fórum de Cultura. Parabéns a todos os artistas e produtores culturais de Cabo Frio! Parabéns também à nova visão de Cultura da prefeitura cabofriense. Há muito a Cultura pairava no limbo, desperdiçando recursos e deixando de investir na diversidade cultural cabofriense. O Prefeito Marquinho Mendes merece o nosso aplauso por defender o debate e a participação popular na definição da política municipal de Cultura. Espero que esse processo continue, sem retrocessos. Cabo Frio só tem a ganhar com a diversidade e a democracia cultural.

Ricardo Cox - jornalista
http://jornallista.blogspot.com


Se todos tivessem a vontade de mudar uma história, o mundo seria bem diferente. Mas, se juntarmos as forças para construir uma cultura melhor, certamente nós mesmos seremos beneficiados pelo retorno. Já demos o primeiro passo...


Ricardo Francescesconi
Presidente do ICABO - Instituto Cultural Afro-Brasileiro
Reserva do Peró


Eu, Renata Cristiane, presidenta do Grupo Iguais, jornalista e historiadora, venho através desse e-mail manifestar importância da realização do fórum de cultura a fim de permitir de forma democrática e plural os rumos da politica cultural de nosso município.
Como dizia o folósofo francês Rousseau: Todo poder emana do povo!
Assim seja. Viva a diversidade cultural, viva a Cultura Popular Brasileira, viva ao Povo Brasileiro!!!!


Renata Cristiane
Presidenta do Grupo Iguais
Jornalista e Historiadora



Participei do Fórum Municipal de Cultura ajudando na organização. O mais bonito foi ver a participação e o compromisso dos artistas da cidade. A democracia foi exercida em todas as votações e na confecção do documento final. Parabéns aos participantes, à UVA pela cessão do local e à Prefeitura Municipal pelo evento.

Delnia Pinheiro Rangel
Artista Plástica

Eu, Nininha Dantas, participei na gestão do Pré-Fórum até o término do Fórum de Cultura. Posso deixar claro que o Fórum foi limpo, democrático e legítimo. Desejo que o processo continue nas Conferências. Destaco e agradeço ao Coordenador Guaral por ter levado esse Fórum de maneira magistral na Plenária. Diversidade artística para o 1º e 2º Distrito é o interesse de todos nós, fará o turismo e os artistas crescerem.

Nininha Dantas
Artista Plástica e Carnavalesca

*

2 comentários:

Beth disse...

Participei do Fórum Municipal de Cultura desde a formação do Comitê Gestor há 3 meses atras. Confesso que fiquei agradávelmente surpreendida pela pluralidade de segmentos artísticos ali representados, tanto pelo número de pessoas verdadeiramente interessadas em apresentar propostas que atendessem toda a coletividade cultural, como pela qualidade e consistência das propostas apresentadas. A Coordenadoria também está de parabéns pela clareza de conduta e pela receptividade com que recebeu, indistintamente, todos aqueles que participaram do Fórum em todas as suas diversas fases.
Estou certa de que posso falar em nome de todos aqueles que por tantos anos pleitearam esta oportunidade de se fazer ouvir, e dizer que somos
GRATOS PELO FÓRUM
Elizabeth F. Michel
Artista Plástica - Grupo Independente de Artes
Viva a liberdade!

facury disse...

Diálogo Coletivo

Foi e está sendo difícil o desdobramento deste fórum de 2009. Mas foi lindo! Houve momentos de sugar experiências de outras plagas; houve momento de puro aprendizado de conceitos muita das vezes nebulosos para nós; houve momento em que se achava que tudo iria desandar pelo calor dos embates, houve momentos de profundos consensos; houve pulsações de levantes contra as indicações cartesianamente empreendedoras do Sebrae; houve reações indignadas contra manifestos despropositais. E a riqueza da discussão do preconceito religioso às manifestações culturais, foi o conceito referencial que emanou do fórum como a sua bandeira maior.
Mesmo que algumas relações tenham ficado marcadas, houve, sobretudo, profundo exercício da democracia, no que pese a desorganização e algumas ausências de componentes da Mesa Diretora que acabou perdendo o seu poder de mando cronométrico, diluindo assim a costumeira autoridade da ordenação coletiva. Mesmo com a falha, todas as decisões foram contempladas com defesas e escolhidas nos votos dos delegados. Até a redação final, em tempo real e continua no fechamento das propostas que costuma ser quase incontornável, entre vários momentos de ebulição, culminou em um trabalho de primeira.
Os colegas artistas que não estiveram presente a este momento perderam de estarem na raiz da árvore dessa história, os detentores de cargos públicos comissionados da cultura que se ausentaram, perderam a oportunidade de aprender como se constrói sugestões públicas verdadeiras e pontuais. Pois onde existe a generosidade, a inteligência, a consciência, com espírito coletivo voltado ao mesmo fim: as coisas acontecem.
A palavra agora é a do Prefeito da cidade...